SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

SHIMIZU, Helena Eri  and  CARVALHO JUNIOR, Daniel Alvão de. O processo de trabalho na Estratégia Saúde da Família e suas repercussões no processo saúde-doença. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.9, pp. 2405-2414. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000900021.

    1. Mendes EV. A modelagem das redes de Atenção à Saúde [monografia]. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais; 2007 Jul [acessado 2010 jul 05]. Disponível em: http://www.saude.es.gov.br/download/A_MODELAGEM_DAS_REDES_DE_ATENCAO_A_SAUDE.pdf. [ Links ]

    2. Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Unesco; 2002. [ Links ]

    3. Organização Pan Americana de Saúde (OPAS). Renovação da atenção primária em saúde nas Américas. Documento de posicionamento da Organização Pan-Americana da Saúde/ OMS [Internet]. Washington, DC: OPAS; 2008 [acessado 2010 jul 05]. Disponível em: http://www.opas.org.br/servico/arquivos/Sala5575.pdf [ Links ]

    4. Hildebrand SM. O modelo político-tecnológico da atenção à saúde da família no Distrito Federal: 1997 a 2006 [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2008. [ Links ]

    5. Göttems LBD. Análise da política de atenção primária à saúde desenvolvida no Distrito Federal: a articulação entre o contexto político, os problemas, as alternativas e os atores na formação da política de saúde (1979 a 2009) [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2010. [ Links ]

    6. Araújo MBS, Rocha PM. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Cien Saude Colet 2007; 12(2):455-464. [ Links ]

    7. Facchini LA, Piccini RX, Tomasi E, Thumé E, Silveira DS, Siqueira FV, Rodrigues MA. Desempenho do PSF no Sul e no Nordeste do Brasil: avaliação institucional e epidemiológica da Atenção Básica à Saúde. Cien Saude Colet 2006; 11(3):669-681. [ Links ]

    8. Lima NT, organizador. Saúde e democracia: história e perspectivas do SUS. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. [ Links ]

    9. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica [internet]. Brasília: MS; 2006 [acessado 2010 jul 5]. 60 p. (Série A. Normas e manuais técnicos); (Série pactos pela saúde 2006; v. 4). Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pactovolume4.pdf [ Links ]

    10. Machado C, Santos PHF, Bento R, Nogueira ML, Dorigo N, entrevistadores. Entrevista: Yves Clot. Mosaico, Estud Psicol 2008; 2(1):65-70. [ Links ]

    11. Dejours C. Conferências Brasileiras. São Paulo: Fundap; 1999. [ Links ]

    12. Dejours C. Subjetividade, trabalho e ação. Produção 2004; 14(3):27-34. [ Links ]

    13. Dejours C. A loucura do trabalho. Estudo de Psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez; 2003. [ Links ]

    14. Schwartz Y, Durrive L, organizadores. Trabalho & Ergologia. Conversas sobre a atividade humana. Niterói (RJ): EdUFF; 2007. [ Links ]

    15. Schwartz Y. Trabalho e saber. Trab Educ 2003; 12(1):21-34. [ Links ]

    16. Gomes L, Abrahão AL, Vieira M, entrevistadores. Entrevista: Yves Schwartz. Trab Educ Saúde 2006; 4(2):457-466. [ Links ]

    17. Robbins SP. Fundamentos do comportamento organizacional. São Paulo: Prentice Hall Brasil; 2008. [ Links ]

    18. Schwartz Y. A experiência é formadora? Educ Real 2010; 35(1):35-48. [ Links ]

    19. Medronho RA, Bloch KV, Werneck GL. Epidemiologia. Rio de Janeiro: Atheneu; 2008. [ Links ]

    20. Mendes AM. Psicodinâmica do trabalho: teoria método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2007. [ Links ]

    21. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº. 196/1996. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Diário Oficial da União 1996; out 10. [ Links ]

    22. Santos-Filho SB, Barros, MEB, organizadores. Trabalhador da saúde. Muito prazer! Protagonismo dos trabalhadores na gestão do trabalho em saúde. Ijuí (RS): Unijuí; 2009. [ Links ]

    23. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Organização Mundial da Saúde. Ministério da Saúde do Brasil. Experiências e desafios da atenção básica e saúde familiar: caso Brasil. Brasília: OPAS; 2004. (Série Técnica Projeto de Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saúde; 8) [ Links ]

    24. Sousa MF, Hamann EM. Programa Saúde da Família no Brasil: uma agenda incompleta? Cien Saude Colet 2009; 14(Supl. 1):1325-1335. [ Links ]

    25. Solla JJSP, Reis AAC, Soter APM, Fernandes AS, Palma JJL. Mudanças recentes no financiamento federal do Sistema Único de Saúde: atenção básica à saúde. Rev Bras Saude Matern Infant 2007; 7(4):495-502. [ Links ]

    26. Castro ALB, Machado CV. A política de atenção primária à saúde no Brasil: notas sobre a regulação e o financiamento federal. Cad Saude Publica 2010; 26(4):693-705. [ Links ]

    27. Soares DHP, Coutinho MC, Nardi HC, Sato L, entrevistadores. Entrevista: Yves Clot. Cad Psicol Soc Trab. 2006; 9(2):99-107. [ Links ]

    28. Levy E, Drago PA, organizadores. Gestão pública no Brasil contemporâneo. São Paulo: FUNDAP; 2005. [ Links ]

    29. Kell MCG, Shimizu HE. Existe trabalho em equipe no Programa Saúde da Família? Cien Saude Colet 2010; 15(Supl. 1):1533-1541. [ Links ]

    30. Durrive L, Schwartz Y. Glossário da ergologia. Laboreal [site na Internet]. 2008 [acessado 2011 jan 20]; 4(1):23-28. Disponível em: http://laboreal.up.pt/media/artigos/166/23-28pt.pdf [ Links ]

    31. Campos GWS. O anti-Taylor: sobre a invenção de um método para co-governar instituições de saúde produzindo liberdade e compromisso. Cad Saude Publica 1998; 14(4):863-870. [ Links ]

    32. Merlo RC. Psicodinâmica do trabalho. In: Jacques MG, Codo W, organizadores. Saúde mental & trabalho. Leituras. Petrópolis: Vozes; 2002. p. 130-142. [ Links ]

    33. Clot Y. A função psicológica do trabalho. Petrópolis: Ed. Vozes; 2006. [ Links ]