SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

GOMES, Romeu; LEAL, Andréa Fachel; KNAUTH, Daniela  and  SILVA, Geórgia Sibele Nogueira da. Sentidos atribuídos à política voltada para a Saúde do Homem. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.10, pp. 2589-2596. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001000008.

    1. Berger PL, Luckmann T. Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem moderno. Petrópolis: Vozes; 2004. [ Links ]

    2. Berger PL, Luckmann T. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis, RJ: Vozes; 2001. [ Links ]

    3. Fernandes FMB, Ribeiro JM, Moreira MR. Reflexões sobre avaliação de políticas de saúde no Brasil. Cad. Saude Publica 2011; 27(9):1667-1677. [ Links ]

    4. Guizardi FL, Cavalcanti FOL. Por um mundo democrático produzido democraticamente (ou: o desafio da produção do comum): contribuições a partir da experiência do Sistema Único Brasileiro. Revista Lugar Comum 2009; 27:103-123. [ Links ]

    5. Jullien F. Tratado da eficácia. São Paulo: Editora 34; 1998. [ Links ]

    6. Singer M, Castro A. Anthropology and Health Policy: A Critical Perspective. In: Castro A, Singer M, editors. Unhealthy Health Policy: A Critical Anthropological Examination. Walnut Creek: AltaMira Press; 2004. p. xi-xx. [ Links ]

    7. Manderson L, Whiteford LM. Introduction: Health, Globalization, and the Fallacy of the Level Playing Field. In: Whiteford LM, Manderson L, editors. Global Health Policy, Local Realities: The Fallacy of the Level Playing Field. Boulder: Lynne Rienner; 2000. p. 1-19. [ Links ]

    8. Fassin D. Social Illegitimacy as a Foundation of Health Inequality: How the Political Treatment of Immigrants Illuminates a French Paradox. In: Castro A, Singer M, editors. Unhealthy Health Policy: A Critical Anthropological Examination. Walnut Creek: AltaMira Press; 2004. p. 203-214. [ Links ]

    9. Pfeiffer J. International NGOs in the Mozambique Health Sector: The "Velvet Glove" of Privatization. In: Castro A, Singer M, editors. Unhealthy Health Policy: A Critical Anthropological Examination. Walnut Creek: AltaMira Press; 2004. p. 43-62. [ Links ]

    10. Lenoir R. Transformations du familialisme et reconversions morales. Actes de la recherche en sciences sociales 1985; 59:3-47. [ Links ]

    11. Lenoir R. L'Etat et la construction de la famille. Actes de la recherche en sciences sociales 1992; 91:20-37. [ Links ]

    12. Brasil. Ministério Da Saúde (MS). Secretaria De Atenção À Saúde. Departamento De Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: Princípios e Diretrizes. Documento apresentado à Comissão Intergestores Tripartite (CIT) com as contribuições do Grupo de Trabalho de Atenção à Saúde. Brasília: MS; 2009. [ Links ]

    13. Bourdieu P. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Russel; 1998. [ Links ]

    14. Bourdieu P. Esboço de uma teoria da prática. Oiras: Celta Editora; 2002. [ Links ]

    15. Gomes R, Leal AF, Lima AMP, Knauth D, Moura ECD, Nogueira da Silva GS, Couto MT, Urdaneta M, Figueiredo WDS. Avaliação das ações iniciais da implantação da política nacional de atenção integral à saúde do homem - Relatório Final. Rio de Janeiro: IFF; 2012. [ Links ]

    16. Denzin NK. The Research Act: A Theoretical Introduction to Sociological Methods. Chicago: Aldine Publishing Company; 1973. [ Links ]

    17. Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, editores. Avaliação por Triangulação de Métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. [ Links ]

    18. Gomes R, Mendonça EA. A representação e a experiência da doença: princípios para a pesquisa qualitativa em saúde. In: Minayo MCS, Deslandes SF, editores. Caminhos do Pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2002. [ Links ]

    19. Jovchelovitch S, Bauer MW. Entrevista narrativa. In: Bauer MW, Gaskell G, editores. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Editora Vozes; 2002. p. 90-113. [ Links ]

    20. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8 Edição. São Paulo: Hucitec; 2004. [ Links ]

    21. Gomes R, Souza ER, Minayo MCS, Malaquias JV, Silva CFR. Organização, processamento, análise e interpretação de dados: o desafio da triangulação. In: Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, editores. Avaliação por Triangulação de Métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2005. p. 185-221. [ Links ]

    22. Ayres JRCM. Organização das ações de atenção à saúde: modelos e práticas. Saúde e Sociedade 2009; 18(Supl. 2):11-23. [ Links ]

    23. Good BJ. Medicine, Rationality and Experience: An Anthropological Perspective. Cambridge: Cambridge University Press; 1994. [ Links ]

    24. Carrara S, Russo JA, Faro L. A política de atenção à saúde do homem no Brasil: os paradoxos da medicalização do corpo masculino. Physis 2009; 19(3): 659-678. [ Links ]

    25. Castiel LD. Promoção de saúde e a sensibilidade epistemológica da categoria 'comunidade'. Rev Saude Publica 2004; 38(5):615-622. [ Links ]

    26. Gaudenzi P, Ortega F. O estatuto da medicalização e as interpretações de Ivan Illich e Michel Foucault como ferramentas conceituais para o estudo da desmedicalização. Interface Comum Saúde Educ 2012; 16(40):21-34. [ Links ]

    27. Bourdieu P. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 1999. [ Links ]

    28. Foucault M. História da Sexualidade, Volume 1: A Vontade de Saber. 13 Edição. Rio de Janeiro: GRAAL Editora; 1999. [ Links ]

    29. Foucault M. Nascimento Da Biopolitica. São Paulo: Martins Fontes; 2008. [ Links ]

    30. Foucault M. O Nascimento da Clínica. 5 edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária; 1998. [ Links ]