SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

CECILIO, Luiz Carlos de Oliveira et al. A Atenção Básica à Saúde e a construção das redes temáticas de saúde: qual pode ser o seu papel?. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2012, vol.17, n.11, pp. 2893-2902. ISSN 1413-8123.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001100006.

    1. Bernardo C. O Sol se põe em São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras; 2007. [ Links ]

    2. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: DAB/SAS/MS; 2006. [ Links ]

    3. Organização Mundial da Saúde. Cuidados primários de saúde: Relatório da Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde; 1978. [site na Internet]. [acessado 2012 set 28]. Disponível em: http://www.saudepublica.web.pt/05-PromocaoSaude/Dec_Alma-Ata.htm#Alma [ Links ]

    4. Organização Mundial de Saúde (OMS). Relatório Mundial da Saúde 2008. Cuidados de Saúde Primários: agora mais que nunca. Lisboa: Ministério da Saúde; 2008. [ Links ]

    5. Conill EM. Ensaio histórico-conceitual sobre a Atenção Primária à Saúde: desafios para a organização de serviços básicos e da Estratégia Saúde da Família em centros urbanos no Brasil. Cad Saude Publica 2008;24(Supl. 1):S7-S275. [ Links ]

    6. Starfield B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Unesco, Ministério da Saúde; 2002 [ Links ]

    7. Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização.Cadernos HumanizaSUS. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. Brasília: MS; 2010. [ Links ]

    8. Brasil. Atenção Básica da Saúde da Família: resultados alcançados em 2009. Portal da Saúde. [site na Internet]. [acessado 2012 set 28]. Disponível em : http://dab.saude.gov.br/abnumeros.php. [ Links ]

    9. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). A atenção à saúde coordenada pela APS: construindo as redes de atenção no SUS: contribuições para o debate. Brasília: OPAS; 2011. [ Links ]

    10. Mendes EV As redes de atenção à saúde. Cien Saude Colet 2010;15(5):2297-2305. [ Links ]

    11. Teixeira L. Reforma do Centro de Saúde: percursos e discursos. Lisboa: Mundos Sociais; No prelo 2012. [ Links ]

    12. Gabe J, Calnan M. The restratification of primary care in England. In: Gabe J, Calnan M, editors. The new sociology of the health service. Abingdon: Routledge; 2009. [ Links ]

    13. Pisco L. Reforma da Atenção Primária em Portugal em duplo movimento: unidades assistenciais autónomas de saúde familiar e gestão em agrupamentos de Centros de Saúde. Cien Saude Colet 2011;16(6):2841-2852. [ Links ]

    14. Carapinheiro G. Inventar percursos, reinventar realidades: doentes, trajectórias sociais e realidades formais. Etnográfica 2001;2:335-358. [ Links ]

    15. Andreazza R, Carapinheiro G, Teixeira L, Cecilio LCO. Do Centro de Saúde à Unidade de Saúde Familiar: narrativas de ausência e intermitências. Anais do 12. Congresso Paulista de Saúde Pública. [ Links ]

    Rev Saude Soc 2011;20(Supl. 1):200-201. [ Links ]

    16. Luz MT. Natural, racional, social: razão médica e racionalidade científica moderna. 2 Edição. São Paulo: Hucitec; 2004. [ Links ]

    17. Brasil. Portaria 4. 279 de 30 de dezembro de 2010. Gabinete do Ministro. Ministério da Saúde. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União 2010; 31 dez. [ Links ]

    18. Brasil. Portaria 1.473, de 24 de junho de 2011. Gabinete do Ministro. Ministério da Saúde. Institui os Comitês Gestores, Grupos Executivos, Grupos Transversais e os Comitês de Mobilização Social e de Especialistas dos compromissos prioritários de governo organizados por meio de Redes Temáticas de Atenção à Saúde. Diário Oficial da União 2011; 27 jun. [ Links ]

    19. Cecilio LCO, Carapinheiro G, Andrade MGG, Albieri FAO, Santo André LD. As múltiplas lógicas de construção de redes de cuidado no SUS: indo além da regulação governamental do acesso e utilização de serviços de saúde. Anais do 12. Congresso Paulista de Saúde Pública. [ Links ]

    Rev Saude Soc 2011;20(Supl. 1):79-80. [ Links ]

    20. Bertaux D. Narrativas de vida, a pesquisa e seus métodos. São Paulo: Paulus Natal, EDUFRN; 2010. [ Links ]

    21. Arfuch L. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: Editora UERJ; 2010. [ Links ]

    22. Houle G. A sociologia como ciência da vida: a abordagem biográfica. In: Poupart J, Deslauries JP, Groulx AL, Mayer R, Pires A, organizadores. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Editora Vozes; 2008. p. 317-334. [ Links ]

    23. Schraiber LB. O médico e o seu trabalho. Limites da liberdade. São Paulo: Hucitec; 1993. [ Links ]

    24. Schraiber LB. O médico e suas interações: a crise dos vínculos de confiança. São Paulo: Hucitec; 2008. [ Links ]

    25. Meneses C, Cecilio LCO, Andreazza R, Cuginotti AP, Reis, AAC, Araujo EC. Os usuários e a transição tecnológica no setor suplementar: estudo de caso de uma operadora de plano de saúde. Cien Saude Colet [periódico na internet]. 2012 mar [acessado 2012 abr]: [cerca de 08 páginas]. Disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/artigo_int.php?id_artigo=8560 [ Links ]

    26. Ceccim RB, Merhy EE. Um agir micro politico e pedagógico intenso: a humanização entre laços e perspectiva. Interface Comun Saúde Educ. 2009:13(Supl. 1):551-542. [ Links ]

    27. Brasil. Decreto n 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2011; 29 jun. [ Links ]