Cultura contemporânea e medicinas alternativas: novos paradigmas em saúde no fim do século XX*

 

Contemporary culture and complementary medicine: new paradigm in health in the end or the century

 

Culture contemporaine et médicines douces: nouveaux paradigmes en santé en fin de siêcle

 

 

Madel T. Luiz

Socióloga, professora titular do Instituto de Medicina Social da UERJ

 

 


RESUMO

o artigo trata das relações atuais entre cultura, medicina, e as chamadas medicinas alternativas, de uma perspectiva analítica macrossociológica. Algumas hipóteses interpretativas são levantadas para explicar a grande profusão de novas terapias e sistemas terapêuticos na sociedade contemporânea, entre as quais a da existência de uma dupla crise: sanitária e médica, afetando as relações tradicionais existentes entre cultura e medicina. Além disso, uma hipótese subsidiária interpreta essa eclosão de terapias e sistemas como fruto da própria racionalidade médica hegemônica na cultura ocidental, que centraliza a doença como elemento estruturante de seu paradigma e institui a ciência (das patologias) como base da racionalidade médica ocidental, praticamente excluindo a milenar questão da arte de curar como foco central da prática e do saber médico.

Palavras-chave: Cultura; medicina; medicinas alternativas.


ABSTRACT

This article deals with the relationships between culture and medicine, and the great spread of alternative medicine in present days. It intends to explain this spread in a sociological approach, trying to advance two basic hypothesis: the first one concerns the present double crisis in health and medicine, and the second one concerns the search for a new rationale in health and care by both patients and therapysts in our contemporary society. It seems to exist a clear cultural lag between cultural changes in practises and representations in health, healing and care and the direction of medical progress.

Keywords: Culture; medicine; medicine alternative.


RÉSUMÉ

Cet article analyse les relations actuelles entre culture, médecine et les dites médecines douces dans une perspective analytique macro sociologique. Deux hypotheses de base sont suggerées dans le sens d'interpreter Ia grande diffusion de nouveaux sysremes et pratiques theurapeutiques. La premiére essaye de caracteriser une double crise, sanitaire et medicale, dans Ia societé contemporaine, affectant les rapports traditionnels entre médecine et culture. La seconde cherche dans Ia rationalité medicale occidentale elle-même une interpretation pour l'essor de cet ensemble de systemes et pratiques, dans Ia mesure ou cette rationalité est centrée sur un paradigme tecno-scientifique d'identification et d'explication de patologies, lequellaisse en second plan Ia question du sujet malade et sa guerison.

Mots-clé: Culture; médicine; médicines douces.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Bibliografia

ALMEIDA, E. L.V. Medicina hospitalar - medicina extra-hospitalar: duas medicinas? Dissertação de mestrado, Rio de Janeiro, IMSIUERJ, 1988.         

ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia sem números. Rio de Janeiro: Campus, 1989.         

ALMEIDA FILHO, N. As razões da terapêutica. Tese de doutorado, Rio de Janeiro, IMSIUERJ, 1996.         

BACHELARD, G. L. La formación dei Espíritu Cientifico. 13 ed. Mexico: Siglo Veintiuno, 1985.         

BALINT, M. O médico, seu paciente e a doença. Rio de Janeiro: Ateneu, 1975.         

CAMARGO JR., K. R. As ciências da AIDS e a AIDS das ciências. Rio de Janeiro: ABIAlIMS- UERJlRelume- Dumará, 1994.         

CAMARGO JR., K. R. A medicina ocidental contemporânea. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 7, p. 129-150, dez. 1995.         

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.         

CHAUVENNETT, A. A lei e o corpo. Physis, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-148, 1991.         

CLAVREUL, J. A. A ordem médica. Rio de Janeiro: Ed. Brasiliense, 1983.         

COULTER, H. Divided legacy - The schism in medical thought. 2 ed. Berkeley, CA: North Atlantic Books, 1982, v. m.         

DASH, V. B. Fundamentais of Ayurvedic medicine. 7 ed. rev. New Delhi: Konark Publ. PVT, s/do        

DASH, V. B. e JUNIUS, A. M. M. A handbook of Ayurveda. 2 ed. New Delhi: Concept Publ. Co., 1987.         

EDDE, G. La medicine Ayur-vedique. 2 ed. St. Jean-de-Braye: Ed. Dangles, 1985.         

FOUCAULT, M. O nascimento da clínica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978.         

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1981.         

FRAWLEY, D. Ayurvedic healing - a comprehensive guide. Salt Lake City: Passage Press, 1989.         

GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.         

GONÇALVES, P. E. (org.). Medicinas alternativas: tratamentos não convencionais. São Paulo: Ibrasa, 1989.         

HABERMAS, J. Conhecimento e interesse. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1987.         

HAHNEMANN, S. Organon de Ia medicina. 6 ed. New Delhi: B. Jain Publishers, 1993 (ed. esp.          ).

HERZLICH, C. A problemática da representação social e sua utilidade no campo da doença. Physis, Rio de Janeiro, V. 1, n. 2, p. 23-34, 1991.         

KENT, James. Lesser Writings. New Delhi: B. Jain Publishers, 1976.         

KENT, James. Filosofia de la Homeopatia. Buenos Aires: Ed. El Ateneo, 1982 (ed. esp.          ).

LUZ, D. A medicina tradicional chinesa (MTC). Série Estudos em Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, n. 72, dez. 1993.         

LUZ, H. S. Homeopatia e racionalidade médica. Revista da Associação Paulista de Homeopatia, São Paulo, v. 60, n. 3-4, p. 3-13, 1995.         

LUZ, M. T. Natural, racional, social, razão médica e racionalidade científica moderna. Rio de Janeiro: Campus, 1988.         

LUZ, M. T. A arte de curar e a ciência das doenças - história social da homeopatia no Brasil. (tese de professor titular em Saúde e Sociedade). Rio de Janeiro: Ed. Dynamis/Abrasco, 1996.         

LUZ, M. T. e cols. I seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, julho, 1992, 108 p.         

LUZ, M. T. e cols. II seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dezembro, 1992, 74 p.         

LUZ, M. T. e cols. li seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, agosto, 1993, 168 p.         

LUZ, M. T. e cols. IV seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dezembro, 1994,52 p.         

LUZ, M. T. Racionalidades médicas e terapêuticas alternativas. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 7, p. 108-128, dez. 1995.         

LUZ, M. T. e cols. V seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dezembro, 1995, 82 p.         

LUZ, M. T. e cols. VI seminário do projeto racionalidades médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dezembro, 1996, 45 p.         

MACHADO, R. Ciência e saber. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.         

MARKERT, C. Yin e Yang - Polaridade e harmonia em nossa vida. São Paulo: Cultrix, 1983.         

NEEDHAM, J. De la ciencia y Ia tecnología chinas. Mexico: Siglo Veintiuno, 1978.         

PAGE, M. CH'] - Energia vital. São Paulo: Ed. Pensamento, 1991.         

POITE VIN, B. Le devenir de l'homéopathie (éléments de théorie et de recherche). Paris: Ed. Doin, 1987.         

PRIGOGINE, I. e STENDERS, I. A nova aliança. Brasília: Ed. Universidade de Brasília.         

QUEIROZ, M. Representações sobre saúde e doenças. Agentes de cura e pacientes no contexto do SUDS. Campinas: Ed. Unicamp, 1991.         

RODRIGUES, R. D. A crise da medicina: prática e saber. Rio de Janeiro: IMS, 1979.         

ROSSI, P. A ciência e a filosofia dos modernos. São Paulo: Ed. Unesp, 1992.         

STENGERS, I. Que tem medo da ciência? São Paulo: Ed. Siciliano, 1991.         

TAMAYO, R. P. El concepto de enfermedad. Mexico: Fondo de Cultura Económica. 1988, v. I.         

UNSCHULD, P. Medicine in China - a history of ideas. Los Angeles/Berkeley/ London: University of California Press, 1985.         

VITHOUKAS, G. La science de l'homéopathie. Monaco: Ed. Rocher, 1980.         

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira Ed.,1967.         

ZIMMER, H. Mitos e símbolos na arte e civilização da Índia. Compilado por Joseph Campbell. São Paulo: Palas Athena, 1989.         

 

 

Recebido em 18/08/97.
Aprovado em 01/10/97.

 

 

* Este artigo foi apresentado originalmente em forma de Comunicação ao IV Congresso Latino-Americano de Ciências Sociais e Medicina, realizado em Cocoyoc, México, em junho de 1997. Algumas modificações e revisões foram feitas ao texto original. Este trabalho é devedor das sugestões, afirmações e observações, conceituais e factuais, sobretudo no que se refere a medicinas tradicionais indígenas, escritas para o presente trabalho pelo professor Raul Mideros Morales, da Universidade Andina Simon Bolivar, Quito, Ecuador. Várias de suas sugestões foram incorporadas ao texto, tornando-o parcialmente fruto de sua colaboração.

IMS-UERJ RJ - Brazil
E-mail: publicacoes@ims.uerj.br