Esta errata corrige:

Errata

No artigo “Atendimentos de crianças e adolescentes com transtornos por uso de substâncias psicoativas nos Centros de Atenção Psicossocial no Brasil, 2008-2012”, com número de DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000200002, publicado na revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 27(2):1-12:

Onde se lia:

A raça/cor da pele branca foi indicada em 29,1% dos registros, seguida pela parda, com 19,6%, e preta, com 4,8%.

Tabela 1
- Características demográficas e nosológicas dos atendimentos a crianças e adolescentes com transtornos mentais e comportamentais por uso de substâncias psicoativas realizados em Centros de Atenção Psicossocial, Brasil, 2008-2012

Tabela 2
- Distribuição dos registros de atendimentos decorrentes de transtornos mentais e comportamentais por uso de substâncias psicoativas, segundo tipo de Centro de Atenção Psicossocial e região, Brasil, 2008-2012

Leia-se:

A raça/cor da pele branca foi indicada em 29,1% dos registros, seguida pela parda, com 19,6%, e preta, com 4,9%.

Tabela 1
- Características demográficas e nosológicas dos atendimentos a crianças e adolescentes com transtornos mentais e comportamentais por uso de substâncias psicoativas realizados em Centros de Atenção Psicossocial, Brasil, 2008-2012

Tabela 2
- Distribuição dos registros de atendimentos decorrentes de transtornos mentais e comportamentais por uso de substâncias psicoativas, segundo tipo de Centro de Atenção Psicossocial e região, Brasil, 2008-2012

Para o artigo original, acesse: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222018000200300&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

No artigo “Prevalência de utilização de serviços de saúde no Brasil: revisão sistemática e metanálise”, com número de DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742017000300016, publicado na revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 26(3):589-604:

Onde se lia:

A Figura 2 apresenta as prevalências de consulta médica encontradas nos 18 estudos,17-20,22-25,27,29-34,36,37,44

Leia-se:

A Figura 2 apresenta as prevalências de consulta médica encontradas nos 18 estudos,17-25, 27, 29-34, 36, 37

Na página 597 a 599:

Obs.: No texto, considerar as referências a seguir sempre com um número a menos, ou seja, tomar a referência anterior à citada.

Para o artigo original, acesse: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222017000300589&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

No artigo "O Brasil pode alcançar os novos objetivos globais da Organização Mundial da Saúde para o controle da tuberculose?", com número de DOI: 10.5123/S1679-49742018000200007, publicado na revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 27(2):1-4, na página 1:

Onde se lia:

O Brasil pode alcançar os novos objetivos globais da Organização Mundia da Saúde para o controle da tuberculose?

Leia-se:

O Brasil pode alcançar os novos objetivos globais da Organização Mundial da Saúde para o controle da tuberculose?

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    20 Ago 2018
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil Brasília - Distrito Federal - Brazil
E-mail: leilapgarcia@gmail.com