ARTIGOS

 

Educação ambiental, qualidade de vida e sustentabilidade

 

Environmental education, quality of life and sustentability

 

 

Maria Cecília Focesi Pelicioni

Profa. Dra. do Departamento de Prática de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da USP e Diretora de Políticas Públicas da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente da PMSP. Av. Dr. Arnaldo, 715 - térreo - São Paulo - SP CEP 01246-904

 

 


RESUMO

O presente artigo procura mostrar que uma nova visão de mundo está ganhando cada vez mais espaço entre as pessoas por meio da Educação Ambiental, a qual objetiva a melhoria da qualidade de vida no planeta. A Educação Ambiental busca a valorização da vida, a formação de um novo estilo de vida, sem consumismo excessivo, sem o desperdício de recursos e sem degradação ambiental. Apresenta também a opinião de alguns autores a respeito do "desenvolvimento sustentável" como uma forma de crescimento econômico aliada à justiça social e à satisfação das necessidades dos excluídos.

Palavras-chave: educação ambiental, qualidade de vida e sustentabilidade.


SUMMARY

This paper intends to show that Environmental Education is spreading a new vision of the world among people, aiming at improving the quality of life around the planet. It concerns the valorization of life, the need of adopting a new life-style without excessive consumism, without the misuse of resources and withnet environmental degradation. It also shows the opinions of several authors about the "sustainable development" as a form of development that provides economical growth with social justice and the satisfaction of the needs of poor people.

Key words: environmental education; quality of life; sustentability.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARONI, M. Ambigüidade e deficiências do conceito de desenvolvimento sustentável. Rev. Adm.Empr. 32(2):14-24,1992.         

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo, IMESP, 1988. Cap. II Art. 196 e Cap. IV art. 225,1988.         

CARVALHO, I. Ecologia, desenvolvimento e sociedade civil. In: Rev. Adm. Publica, 25(4):2-45,1991        

COIMBRA, J. de A.A. O outro lado do meio ambiente. São Paulo, CETESB/ASCETESB, 1985.         

COMISSÃO MUNDIAL PARA MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1988.         

DIAS, G.F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo, Gaia, 1992.         

DIEGUES, A.C.S. Desenvolvimento sustentável ou sociedades sustentáveis - da crítica dos modelos aos novos paradigmas. S. Paulo em Perspec. 6(1/2): 22-9,1992.         

ESPINOSA, H.R.M. Desenvolvimento e meio ambiente sob nova ótica. Ambiente, 7(1):40-4,1993.         

FORATTINI, O.P. Qualidade de vida e meio urbano: a cidade de São Paulo, Brasil. Rev. Saúde Pública, 25:75-86,1991.         

HERCULANO, S.C. Do desenvolvimento (in)sustentável à sociedade feliz. In: VIOLA, E. et al. Ecologia ciência e política: participação social, interesses em jogo e luta de idéias no movimento ecológico. Rio de Janeiro, Devan, 1992. p. 9-45.         

HORNQÜIST, J.O. Quality of life: concept and assessment. Scand. J. Soc. Med., 18:69-79,1990.         

IANNI, O. A sociedade global. 2ª.ed. Rio de janeiro, Civilização Brasileira, 1993.         

MINAYO, M.C. de S. Saúde e ambiente no processo de desenvolvimento. Ciênc. Saúde Coletiva, 3(2):4-5,1998.         

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Plano nacional de saúde e ambiente no desenvolvimento sustentável diretrizes para implantação. Brasília, DF, 1995.         

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Glossário de promoção da saúde. Genebra, 1998.         

PELICIONI, M.C.F. Qualidade de vida das mulheres trabalhadoras das creches conveniadas do bairro Bela Vista do Município de São Paulo. São Paulo, 1995. [Tese de Doutorado - Faculdade de Saúde Pública da USP]          .

REIGOTA, M. O que é educação ambiental. Cortez, São Paulo, 1994.         

SADER, E. A ecologia será política ou não será. In: GOLDENBERG, M. org. Ecologia,ciência e política: participação social, interesses em jogo e luta de idéias no movimento ecológico. Rio de Janeiro, Revan, 1992, p. 135-42.         

 

 

Recebido em 12/3/98
Aprovado em 10/11/98

Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br