• Gender and obesity interaction in quality of life in adults assisted by family doctor program in Niterói, Brazil Free Themes

    Torres, Karla Dala Paula; Rosa, Maria Luiza Garcia; Moscavitch, Samuel Datum

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A obesidade causa impacto na qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS). Estudos sobre os efeitos de uma possível interação entre sexo e obesidade são escassos. O objetivo do presente trabalho é estimar a interação biológica entre gênero e obesidade na QVRS. Trata-se de um estudo transversal com base em dados do estudo CAMELIA da população atendida pelo Programa Médico de Família de Niterói que ocorreu entre junho de 2006 e dezembro de 2007. A QVRS foi avaliada pelo SF-36. As variáveis de exposição foram: mulheres obesas, mulheres não obesas, homens obesos e homens não obesos, a categoria de referência. As mulheres obesas apresentaram maiores percentuais de baixa qualidade de vida global, física e mental com as maiores associações no componente físico. O excesso de risco devido à interação foi estatisticamente significativo na dimensão física: RERI = 1,97 (0,40-3,52) e RERIa = 1,97 (0,40-1,7). A obesidade na população brasileira com idade entre 20-64 anos foi associada com baixa QVRS. Esta associação difere por sexo, sendo significativa para as mulheres. A possibilidade de um efeito combinado assume maior importância no contexto da crescente incidência de obesidade no mundo. Os profissionais de saúde de atenção primária devem considerar as diferenças de gênero no impacto da obesidade sobre a QVRS.

    Abstract in English:

    Abstract Obesity impacts the quality of life (HRQL). Studies about the effects of a possible interaction between gender and body mass are rare. The objective of the present paper is to estimate the biological interaction between gender and obesity on HRQL. This was a cross-sectional study based on data from CAMELIA study with population assisted by the Family Doctor Program of Niteroi visited between June 2006 and December 2007. HRQL was assessed by the SF-36. The exposure categories were: obese women, non-obese women, obese men and non-obese men, the reference category. Obese women showed higher percentages of low overall, physical and mental quality of life with the largest associations in the physical component. The excess risk due to interaction was statistically significant in physical dimension: RERI = 1.97 (0.40-3.52) and RERIa = 1,97 (0.40-1.7). Among the Brazilian population aged 20–64 years, obesity was independently associated with low HRQL. This association differed by gender, being significant for women. The possibility of the combined effect takes greater importance in the context of increasing incidence of obesity globally. Healthcare professionals in primary care settings should pay attention to gender differences in the impact of obesity on HRQL.
  • Access to prenatal care: inequalities in a region with high maternal mortality in southeastern Brazil Free Themes

    Martinelli, Katrini Guidolini; Santos Neto, Edson Theodoro dos; Gama, Silvana Granado Nogueira da; Oliveira, Adauto Emmerich

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este artigo tem por objetivo avaliar o acesso à assistência pré-natal segundo as dimensões de disponibilidade, capacidade de pagar e aceitabilidade, no SUS de uma microrregião do sudeste brasileiro. Trata-se de um estudo seccional, realizado em 2012-2013, que selecionou 742 puérperas em sete maternidades da região escolhida para a pesquisa. As informações foram coletadas, processadas e submetidas ao teste Qui-quadrado e ao teste não paramétrico de Spearman, com p-valor menor que 5% (p < 0,05). Apesar de o SUS garantir constitucionalmente o acesso universal ao sistema de saúde, nota-se que ainda existem iniquidades entre as puérperas da zona rural e urbana quanto à disponibilidade e, entre as famílias que ganham até um salário mínimo e mais de um salário mínimo por mês, quando se relaciona à capacidade de pagar, porém a aceitabilidade revelou-se igual, independentemente da modalidade dos serviços de saúde. O local de moradia, os recursos de transporte e o financiamento dos serviços de saúde devem ser reorganizados, e a formação dos profissionais de saúde aprimorada, a fim de oferecer um acesso mais justo às gestantes.

    Abstract in English:

    Abstract Aim This article aims to evaluate access to prenatal care according to the dimensions of availability, affordability and acceptability in the SUS microregion of southeastern Brazil. Methods A cross-sectional study conducted in 2012-2013 that selected 742 postpartum women in seven hospitals in the region chosen for the research. The information was collected, processed and submitted to the chi-square test and the nonparametric Spearman’s test, with p-values less than 5% (p < 0.05). Results Although the SUS constitutionally guarantees universal access to health care, there are still inequalities between pregnant women from rural and urban areas in terms of the availability of health care and among families earning up to minimum wage and more than one minimum wage per month in terms of affordability; however, the acceptability of health care was equal, regardless of the modality of the health services. Conclusion The location, transport resources and financing of health services should be reorganised, and the training of health professionals should be enhanced to provide more equitable health care access to pregnant women.
ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revscol@fiocruz.br