• Hourly frequency and seasonality of Lutzomyia longipalpis (Diptera: Psychodidae: Phlebotominae) on São Luís Island, Maranhão, Brazil Nota

    Rebêlo, José Manuel Macário

    Abstract in Portuguese:

    A distribuição sazonal e horária de Lutzomyia longipalpis foi estudada nos ambientes peri e intradomiciliar de duas localidades da Ilha de São Luís, estado do Maranhão. Os 11.200 exemplares capturados foram atraídos por quatro armadilhas CDC nos anos de 1996 e 1997, mensalmente, das 18h às 6h. L. longipalpis comportou-se como uma espécie anual, tendo sido encontrada em alta freqüência em todos os meses do ano, tendendo a ser mais abundante no período chuvoso (57,2%) do que no seco (42,8%). As maiores freqüências foram observadas nos meses de janeiro e abril, no período chuvoso, e em julho e novembro, no período seco. Foi encontrada a noite inteira, porém foi mais freqüente entre 18h e 22h no peridomicílio, e entre 20h e 2h no intradomicílio.

    Abstract in English:

    This article presents the hourly and seasonal distribution of the Lutzomyia longipalpis sand fly captured on São Luís Island, Maranhão State. A total of 11,200 specimens were captured during monthly use of CDC light traps indoors and in animal sheds, between 6:00 PM and 6:00 AM, in 1996 and 1997. The sand fly behaved as an annual species, with a high frequency year-round, while it was most abundant during the rainy season (57.2%) as compared to the dry season (42.8%). The highest frequencies during the rainy season occurred in January and April and in the dry season in July and November. The species was found all night long, mainly between 6:00 PM and 10:00 PM in animal sheds and between 8:00 PM and 2:00 AM indoors.
  • Digestive tract microbiota in female Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva, 1912) (Diptera: Psychodidae) feeding on blood meal and sacarose plus blood meal Nota

    Oliveira, Sandra Maria Pereira de; Morais, Bianca Aguiar de; Gonçalves, Claudia Abrantes; Giordano-Dias, Cristina Maria; Vilela, Maurício Luiz; Brazil, Reginaldo Peçanha; d'Almeida, José Mario; Asensi, Marise Dutra; Mello, Rubens Pinto

    Abstract in Portuguese:

    Há poucos estudos sobre a microbiota do trato digestivo de flebotomíneos, considerando-se que o sangue não é o único alimento ingerido. Os flebotomíneos, tanto os machos como as fêmeas, alimentam-se de açúcares, provenientes de várias fontes, possibilitando a ingestão de microrganismos. As chances de contaminação aumentam nos insetos criados em laboratório e pode interferir no desenvolvimento da Leishmania spp. Foi separado um total de 300 fêmeas, divididas em dois lotes, das quais extraímos o trato digestivo. No lote 1(fêmeas alimentadas com sangue e sacarose) das 10 espécies bacterianas isoladas, a família Enterobacteriaceae esteve representada pelos gêneros Serratia, Enterobacter e Yokenella, e o grupo dos não fermentadores pelos gêneros Pseudomonas, Acinetobacter e Stenotrophomonas. No lote 2 (fêmeas alimentadas apenas com sangue) das 8 espécies isoladas o grupo dos não fermentadores esteve representado pelos gêneros Acinetobacter, Stenotrophomonas, Burkolderia e Pseudomonas, e a família Enterobacteriaceae, pelos gêneros Enterobacter e Serratia.

    Abstract in English:

    There are very few reports on the microbiota of the digestive tract of sand flies, an important omission considering that blood is not the only meal ingested. Male and female sand flies obtain sugar meals from several sources, thereby increasing their chance of infection with microorganisms. Chances of contamination are higher when insects are bred in the laboratory, and this may affect the development of Leishmania spp. From the digestive tract of 300 sand fly females separated in two groups we isolated 10 species of bacteria in group 1 and 8 species in group 2. In group 1, Enterobacteriaceae of the following genera were identified: Serratia, Enterobacter, and Yokenella and the non-fermenters: Pseudomonas, Acinetobacter, and Stenotrophomonas. In group 2, the Enterobacteriaceae Enterobacter and Serratia were identified as well as the non-fermenters Acinetobacter, Stenotrophomonas, Burkolderia, and Pseudomonas.
  • Collective health: a challenge for nursing Nota

    Matumoto, Silvia; Mishima, Silvana Martins; Pinto, Ione Carvalho

    Abstract in Portuguese:

    O texto parte da saúde pública para discutir o que é saúde coletiva, seu objeto e campo de atuação, dando ênfase à concepção de homem, à discussão a respeito do âmbito individual e coletivo e ao conceito de saúde-doença, passando pelo debate da construção interdisciplinar da saúde coletiva. Em seguida, busca situar a enfermagem nesse campo, destacando aquilo que parece ser um grande desafio, compreender a enfermagem como prática de relações.

    Abstract in English:

    This study takes public health as the point of departure to discuss both the concept of collective health and its object and field of action, emphasizing the concepts of man, collective and individual spheres, and health-disease, through a discussion of the interdisciplinary construction of the collective health field. The authors then place nursing within this field, emphasizing what appears to be the greatest challenge, i.e., to approach nursing as a practice of relationships.
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br