• Test-retest reliability of self-perceived oral health in an adult population in Rio de Janeiro, Brazil Nota

    Afonso-Souza, Gislaine; Nadanovsky, Paulo; Werneck, Guilherme Loureiro; Faerstein, Eduardo; Chor, Dora; Lopes, Cláudia S.

    Abstract in Portuguese:

    O estudo avaliou a confiabilidade teste-reteste do item único de saúde bucal percebida, que fez parte de um questionário de um estudo longitudinal (Estudo Pró-Saúde, 2001). Esse questionário foi aplicado duas vezes, em uma amostra de 101 funcionários de uma universidade do Rio de Janeiro, Brasil. A avaliação da saúde bucal percebida foi feita utilizando-se um item único com cinco opções de resposta: de "muito bom" a "muito ruim". A concordância foi estimada pela estatística kappa (k) ponderada quadrática e estratificada segundo sexo, idade, renda e escolaridade. O coeficiente kappa para toda população foi 0,80. Valores pontuais mais altos foram obtidos para mulheres (k = 0,84), adultos jovens (k = 0,85), participantes com nível médio de escolaridade (k = 0,86) e os de renda maior que seis salários mínimos (k = 0,91). Estimativas kappa mais baixas foram encontradas em indivíduos acima de 40 anos (k = 0,67, 40-49 anos; e k = 0,69, > 50). A confiabilidade do item único de saúde bucal percebida variou de substancial a quase perfeita, para todos os estratos da população, sugerindo que este item pode ser usado em análises futuras no âmbito do Estudo Pró-Saúde.

    Abstract in English:

    This study evaluated the test-retest reliability of a single item, namely self-perceived oral health, included in a questionnaire applied in a longitudinal study (the "Pró-Saúde" or Pro-Health Study, 2001). The questionnaire was applied twice in a sample of 101 employees at a State university in Rio de Janeiro, Brazil. Self-perceived oral health was based on a single item, with five choices, ranging from "very good" to "very bad". Agreement was estimated using weighted kappa statistics and stratified according to gender, age, income, and schooling. Overall kappa coefficient was 0.80. Higher values were found in women (k = 0.84), young adults (k = 0.85), subjects with medium-level schooling (k = 0.86), and those earning more than six times the minimum wage (k = 0.91). Lower kappa estimates were obtained for individuals over 40 years of age (k = 0.67 for 40-49 years and k = 0.69 for > 50). The reliability of the single item "self-perceived oral health" varied from "considerable" to "almost perfect" in all population strata, suggesting that this item can be used in future analyses in the scope of the "Pró-Saúde" Study.
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br