Saúde e Sociedade, Volume: 3, Issue: 2, Published: 1994
  • Editorial Editorial

  • Saúde coletiva: história de uma idéia e de um conceito Artigos

    Nunes, Everardo Duarte

    Abstract in Portuguese:

    O presente trabalho procura resgatar de forma sintética a trajetória histórica e conceitual da "Saúde Coletiva", evidenciando as suas raízes nos projetos preventivistas e da medicina social. Estes projetos, que se estenderam a partir dos anos 50 e que culminam com a idéia da chamada "Saúde Coletiva", apresentam aspectos que os diferenciam na apreensão do social e do coletivo. Ao tratar especificamente da idéia de uma Saúde Coletiva, o texto aponta para a sua tríplice dimensão: como corrente de pensamento, como movimento social e como prática teórica.
  • A Saúde Pública como campo de investigação interdisciplinar e a questão metodológica Artigos

    Alvarenga, Augusta Thereza de

    Abstract in Portuguese:

    O presente ensaio procura identificar as características básicas da Saúde Pública como campo de investigação interdisciplinar e ressaltar a relevância da consideração de questões metodológicas pelo pesquisador que com elas se defronta consciente ou inconscientemente. Diferenciando as concepções de metodologia teórica e de metodologia da técnica o texto busca mostrar, por um lado, como os fundamentos de naturezas ortológica, epistemológica e lógica encontram-se presentes no trabalho científico articulando os vários níveis presentes no processo de investigação. Por outro, como a metodologia, como disciplina metateórica, tem como objetivo fundamentar as teorias e os métodos e as técnicas de pesquisa que o cientista emprega como instrumental. Procura colocar, outrossim, como a Saúde Pública se inscreve no conjunto das Ciências Naturais, Ciências Sociais e Ciências Formais e o caráter interdisciplinar do campo que daí decorre. Trata, finalmente, dos desafios metodológicos que se apresentam ao investigador preocupado não somente em aplicar metodologias típicas dos paradigmas de investigação vigentes, mas sobretudo em responder às necessidades de avanço do conhecimento que o campo requer tomando como objeto de estudo as novas questões que a este se apresentam e que se colocam à margem da "ciência normal".
  • Interdisciplinaridade: funcionalidade ou utopia? Artigos

    Minayo, Maria Cecília de Souza

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo levanta uma discussão teórica sobre várias visões a respeito de Interdisciplinaridade. Analisa-se a visão humanitária defendida por GUSDORF, que critica o esfacelamento do saber parcelizado, buscando a raiz de um conhecimento integrado e unitário na Grécia antiga. Aborda também o pensamento crítico de CARNEIRO LEÃO e outros autores que refletem sobre a funcionalidade da interdisciplinaridade na ciência e tecnologia modernas. E termina com a teoria da ação comunicativa de HABERMAS que propõe a articulação entre a filosofia, a ciência e o mundo da vida como uma nova forma de relação dialética entre o sujeito e objeto na construção do conhecimento. Trata-se de um artigo que mais propõe questões que soluções, dando pistas para a abordagem de situações concretas para a área da saúde onde não só é crucial a integração de disciplinas como a multiprofissionalidade.
  • Investigação em Serviços de Saúde: qual é o seu problema? Artigos

    Carvalheiro, José da Rocha

    Abstract in Portuguese:

    O Autor relata experiências que acompanhou nas duas últimas décadas, relacionadas com a Investigação de Serviços (e Sistemas) de Saúde (ISS). Partindo da diversidade da abrangência do objeto desse campo da pesquisa, segundo se depreende da temática de vários seminários realizados na América Latina, faz uma incursão pela definição operacional de ISS e as categorias de estudos que pode incluir. Retoma a discussão da questão epistemológica, colocada no nível do reconhecimento da importância do saber de senso comum produzido no cotidiano dos serviços de saúde. Conclui propondo abordagem que incorpore três aspectos essenciais: a moderna Teoria das Redes na gênese e circulação dos fatos científicos (CALLON, 1989); as Matrizes de Dados e o nível de ancoragem (SAMAJA, 1995); o Postulado de Coerência e a questão do Poder (TESTA, 1992).
  • Pesquisas na área de classificação de doenças Artigos

    Laurenti, Ruy

    Abstract in Portuguese:

    A Classificação Internacional de Doenças (CID) foi adotada internacionalmente em 1893 passando a ser utilizada como uma Classificação de Causas de 77 Morte. A partir da Sexta Revisão, em 1948, a responsabilidade pela CID e sucessivas revisões passou para a OMS e esse instrumento estatístico desde então, vem se ampliando bastante deixando de ser apenas uma classificação de causas de morte para se tornar, a seguir, também, uma classificação de doenças propriamente dita e de motivos de consulta. Atualmente, entende-se pelo jargão CID, urna verdadeira "Família de Classificações". O trabalho descreve, em linhas gerais, pesquisas que são realizadas com a CID, quer como instrumento estatístico de análises de mortalidade e morbidade, quer pesquisas para avaliação ou mesmo para novas propostas quanto aos usos dos múltiplos aspectos englobados sob o título CID.
  • Movimentos sociais e comunitários no campo da saúde como sujeitos e objetos de experiências educativas Artigos

    Westphal, Márcia Faria

    Abstract in Portuguese:

    Tendências e modelos teóricos sobre movimentos sociais e educação foram analisados desde a década de 40, no que respeita à participação das camadas populares na questão da saúde. Verificamos na atualidade a emergência de práticas que redefinem a relação entre Estado e Sociedade, possibilitando o posicionamento dos indivíduos como cidadãos com direito a saúde e melhores condições de vida. A população e os profissionais de saúde entretanto, vem confundindo saúde com assistência médica, os primeiros se colocando como consumidores de serviços e os segundos como fornecedores dos mesmo, desmobilizando as organizações populares para lutas mais amplas. A formação política e a informação sobre saúde à população são necessidades que se colocam para os profissionais de saúde, que assumiram um compromisso político com a população, sujeito do processo educativo e de saúde, de acordo com os princípios do Sistema Único de Saúde. Três alternativas pedagógicas são apresentadas para o profissional que quer ultrapassar os limites de um processo educativo normativo, de preceitos de saúde, colocando os movimentos sociais como sujeitos das ações de saúde e educação: a pedagogia do conflito; a tendência libertária, que reúne defensores da auto gestão pedagógica; e a pedagogia crítica social dos conteúdos.
  • Práticas discursivas e produção de sentido: apontamentos metodológicos para a análise de discursos sobre a saúde e a doença Artigos

    Spink, Mary Jane Paris; Gimenes, Maria da Gloria G.

    Abstract in Portuguese:

    O presente trabalho insere-se no campo de estudos do conhecimento social, abordando a produção de sentido sob a perspectiva interacional e microgenética. O pressuposto teórico pauta-se pelo argumento de que conhecer é dar sentido ao mundo, o que implica no posicionamento do eu e, conseqüentemente, na negociação continuada de identidades sociais. O delineamento da metodologia de análise das práticas discursivas é apresentado a partir de dados empíricos coletados para a pesquisa "Representações, Estratégias de Enfrentamento e Bem-estar Psicológico após Câncer da Mama". Estes dados foram coletados através de entrevistas baseadas na associação de idéias sobre corpo/seio, saúde/doença e câncer. Estes dados foram trabalhados através de dois níveis de análise: um na escala das relações pessoa a pessoa e o outro na escala da consciência social compartilhada. Nesta análise, ênfase é dada ao trabalho com a processualidade à luz das permanências culturais e sociais e à luz da funcionalidade do discurso frente ao contexto de sua produção. Todas as etapas da análise do material são apresentadas de forma detalhada e ilustradas através de recortes das entrevistas. Finalmente, são discutidas as implicações da produção de sentido para a prática no campo da saúde.
  • O exercício da sensibilidade: pesquisa qualitativa e a saúde como qualidade Artigos

    Adomo, Rubens de Camargo Ferreira; Castro, Ana Lúcia de

    Abstract in Portuguese:

    O artigo procura discutir a inserção do termo "qualitativo" nos focos de discussão metodológica no campo da saúde pública, situando essa questão em três níveis: sua vinculação à recorrente discussão entre positivismo e sociologia crítica; as demandas existentes na área de saúde que legitimam o apelo a alternativas metodológicas, e a relação deste qualitativo com propostas do trabalho de campo na antropologia. Refere, ainda, à necessidade de construção de um referencial metodológico que incorpore a sensibilidade do investigador, na atual crise de paradigmas decorrente, em boa medida, da fragmentação e heterogeneidade contemporâneas.
  • "Você deixaria sua filha se casar com um negro"?Algumas considerações sobre a ambigüidade nas questões de pesquisa Artigos

    Lefèvre, Fernando

    Abstract in Portuguese:

    Discute-se, neste trabalho, a questão da ambigüidade na pesquisa social e na pesquisa social em saúde, que está quase sempre presente nas perguntas dos pesquisadores e nas respostas dos pesquisados. Ilustra-se o problema com a discussão dos pressupostos e das dúvidas presentes na conhecida questão: "Você deixaria sua filha se casar com um negro?" Conclui-se pela necessidade, na pesquisa social e na pesquisa social em saúde, de se formular questões preferencialmente abertas, com enunciados não ou pouco ambíguos, que possam dar margem à expressão, pelos respondentes, de opiniões ou representações sob a forma de discursos ou cadeias argumentativas. Os discursos ou cadeias argumentativas tem a dupla vantagem de apresentarem mais material verbal, o que diminui a probabilidade da ocorrência de ambigüidade nas respostas, e de serem formas mais adequadas à expressão do pensamento.
Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br