• Editorial Editorial

  • Cultural diversity and the challenges of brazilian indian health policy Editoriais Especiais

    Langdon, Esther Jean
  • Health and diversity Editoriais Especiais

    Munanga, Kabengele
  • Participation and autonomy in the intercultural contexts of Indian Health: reflections from southern Brazil Parte I - Artigos

    Langdon, Esther Jean; Diehl, Eliana E.

    Abstract in Portuguese:

    A democratização das ações e serviços de saúde no Brasil, expressa no Sistema Único de Saúde (SUS) em 1990, tem como base novas relações entre estado e sociedade. Idealisticamente, os princípios e as diretrizes do Sistema Único de Saúde, forjados ainda no Movimento de Reforma Sanitária a partir de 1976, estabelecem o papel central do usuário e deslocam o eixo do poder das macroestruturas para os níveis locais e regionais, com a ampla participação de todos os setores que compõem o cenário da saúde. No caso indígena, o Subsistema de Atenção à Saúde Indígena no âmbito do SUS foi implementado em 1999, face às históricas desigualdades e iniqüidades vividas por esses povos no Brasil. Desde a implantação do Subsistema, há sete anos, são poucas as reflexões sobre os conceitos-chaves e sua práxis em contextos interculturais: atenção diferenciada, Agentes Indígenas de Saúde e participação e controle social. Esse artigo traz uma avaliação do modelo de atenção à saúde indígena com base nesses aspectos. A partir de pesquisas realizadas no sul do Brasil, especificamente no Estado de Santa Catarina e na experiência de participação em instâncias de controle social, buscamos contribuir para a avaliação, que é exígua até o momento.

    Abstract in English:

    The democratization of health actions and services in Brazil, as expressed in the National Health System (SUS) established in 1990, is based upon new relations between the State and society. Ideally, the principles and directives of SUS, also created in the Health Care Reform movement from 1976 onwards, establish the central role of the consumer and shift the axis of power from macro-institutions to local and regional levels, with broad participation of all the sectors that make up the health service field. In view of the historical inequalities and inequities experienced by the indigenous peoples of Brazil, the Subsystem of Attention to Indian Health as part of SUS was established in 1999. Since the implementation of the Subsystem seven years ago, there have been few reflections regarding the praxis of its key concepts in intercultural contexts: differentiated attention, Indian Health Agents and participation and social control. Considering these aspects, this article evaluates the model of attention to Indian health. Based on research from Southern Brazil, specifically from the State of Santa Catarina, and on the experience of participation in situations of social control, the authors hope to contribute to an evaluation of the Subsystem, which is imperative at this moment.
  • Population recovery and fertility Among the Kamaiurá, Tupi people of the Alto Xingu, Central Brazil, 1970-2003 Parte I - Artigos

    Pagliaro, Heloisa; Junqueira, Carmen

    Abstract in Portuguese:

    Este trabalho analisa a fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi habitante do Parque Indígena do Xingu (PIX), entre 1970 e 2003. As fontes de dados foram os registros do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) no Parque Indígena do Xingu e levantamentos de campo realizados em 2003. O estudo mostrou que até 1966 a população Kamaiurá manteve-se estável devido à alta mortalidade por epidemias de doenças infecciosas e disputas com os povos da região, assim como à fecundidade moderada. Entre 1967 e 2002, essa população cresceu 3,5% ao ano. O nível da fecundidade das Kamaiurá passou de 5,7 para 6,2 filhos por mulher, entre 1970 e 2003, tendo atingido seu valor máximo em 1980 (6,6). A partir da década de 1990, houve um envelhecimento do padrão reprodutivo, evidenciado pela redução dos níveis de fecundidade das mulheres com até 24 anos e aumento entre as mulheres dos demais grupos etários. A média de idade ao nascimento do primeiro filho aumentou de 16,2 para 18,8 anos, no período 1970-2003, e a proporção de mulheres solteiras maiores de 15 anos de idade também cresceu: de 6,3%, em 1971, para 26%, em 2003. Nesse período, o intervalo entre os nascimentos variou entre 30,3 e 36 meses. O aumento da fecundidade dos Kamaiurá foi favorecido pela melhoria das condições de saúde decorrente da queda da mortalidade, mas ocorreu sem o abandono de suas práticas tradicionais de controle da natalidade, o que lhes permitiu crescer de forma racional e equilibrada.

    Abstract in English:

    This paper analyses the fertility of the Kamaiurá, a Tupi people that inhabits the Xingu Indigenous Park (XIP), between 1970 and 2003. Data has been gathered from medical records of the Health Program of the São Paulo Federal University (Unifesp) at XIP, and from a survey conducted at the Kamaiurá village in 2003. Results have shown that before 1966, high mortality rates due to disputes among the indigenous nations of the region and contagious diseases, as well as moderate fertility levels were responsible for the stability trend of the population. The average population growth between 1967 and 2003 was 3.5%. Total fertility rates increased from 5.7 to 6.2 births per woman, between 1970 and 2003, reaching their highest level in 1980 (6.6). Since the 1990s there has been an ageing of the reproductive patterns, with the decrease of fertility levels among women up to 24 years of age, and an increase among women in the other age groups. The average age at first birth increased from 16.2 to 18.8 years between 1970-2003; the proportion of single women older than 15 years also increased: from 6.3% in 1971 to 26% in 2003; the inter-birth intervals varied between 30.3 and 36 months. The increase in the Kamaiurá's fertility rate was favored by the decrease in general and infant mortality rates, but the Kamaiurá did not abandon their traditional fertility controls, which has allowed a rational and balanced population growth.
  • Health Policies, Therapeutic Plurality and Identity in Indigenous Amazonia Parte I - Artigos

    Gil, Laura Pérez

    Abstract in Portuguese:

    O propósito deste trabalho é realizar uma comparação entre os campos terapêuticos vivenciados por dois grupos pano: os Yaminawa (Departamento do Ucayali, Peru) e os Yawanawa (Acre, Brasil). Essa comparação levanta questões relevantes, na medida em que ambos os grupos, apesar de sua proximidade cultural, se encontram inseridos em realidades nacionais, sociais e políticas diferentes. As diferenças existentes não se limitam a questões derivadas de duas políticas oficiais de saúde distintas, mas estão diretamente associadas às particularidades dos respectivos contextos sociais regionais. A comparação dessas situações mostra que o tipo de relação que as sociedades envolventes e os Estados estabelecem com as populações indígenas, assim como os aspectos identitários derivados dela, são fatores importantes na constituição do habitus terapêutico desses grupos. Esse aspecto é exemplificado no texto por meio de uma reflexão sobre diferenças existentes entre as práticas, de cada um dos grupos, relativas à alimentação dos recém-nascidos e ao uso dos recursos da biomedicina em relação ao parto e o controle da natalidade.

    Abstract in English:

    The purpose of this paper is to make a comparison between the therapeutic fields that form part of the daily experience of two Panoan groups: Yaminawa people (Ucayali, Peruvian Amazon) and Yawanawa people (Acre, Brazilian Amazon). This comparison raises some interesting questions, as both groups, in spite of their cultural and linguistic relatedness, are inserted in different national, social and political contexts. The existing differences observed are not limited to questions stemming from two different state health policies; rather, they are directly associated with the particularities of their respective social and regional contexts. A comparison of these situations demonstrates that the relationship that the State establishes with indigenous societies, as well as the identity aspects deriving from it, are important factors in the constitution of indigenous therapeutic habitus. The present analysis examines how these issues are exemplified in newborns' feeding practices and in the use of biomedical resources in childbirth and birth control in both groups.
  • Minimum Income Program in the indian village Morro da Saudade in São Paulo, in the Period 2003-2004: analysis of an experience Parte I - Artigos

    Fabbri, Elizete Antelmi; Ribeiro, Helena

    Abstract in Portuguese:

    Este trabalho teve como objetivo analisar a implantação do Programa de Garantia de Renda Familiar Mínima (PGRFM) na comunidade Guarani do Morro da Saudade (distrito de Parelheiros), no Município de São Paulo. O universo da pesquisa abrangeu 67 famílias indígenas da aldeia, inseridas no PGRFM, entre 2003 e 2004. A metodologia empregada foi a qualitativa, com a utilização de várias técnicas: observação participante, avaliação de documentos oficiais e correlatos, entrevista aberta realizada a partir de roteiro norteador, que possibilitou o recolhimento de depoimentos de famílias beneficiárias e de atores profissionais de instituições municipais e estaduais. Foi adotado o princípio da triangulação para análise dos resultados. Observou-se que, apesar de estarem inseridas na sociedade de consumo, as comunidades indígenas guardam valores coletivos e sociais que se revelaram incompatíveis com as características de um programa de distribuição de renda, típico da sociedade envolvente. Sugere-se que a política de distribuição de renda, apesar de diminuir o risco de desnutrição na aldeia, pode intensificar o quadro de tensão no qual se inserem as comunidades indígenas assentadas em meio urbano, ocasionando desequilíbrios na saúde de seus membros e alterando sua relação com o meio ambiente. Conclui-se que a Lei da Renda Básica de Cidadania seria mais adequada ao mundo indígena, se adaptada e regulamentada para eles e com a sua participação.

    Abstract in English:

    The study aimed to analyze the implementation process of the "Programa de Garantia de Renda Familiar Mínima" (PGRMF) Minimum family income program - among the Guarani, an Indian community living in Morro da Saudade, located in a district in the periphery of the city of São Paulo. The research focused on 67 Guarani-Mbya families living in Morro da Saudade and participating in the Program during 2003 and 2004. The qualitative methodology was adopted. The investigation was based mainly on the principles of action research, as well as on the analysis of different sources, official or not. Non-structured interviews enabled to trace back histories and projects of life of the Guarani-Mbya families. Interviews with different actors contributed to the understanding of the impacts. The study revealed that the implementation of PGRMF in the Guarani community living in Morro da Saudade, despite its beneficial aspect of minimizing malnutrition risks, can exacerbate tensions among the groups located at the fringe of the urban area, causing disruptions in their members' health and changing their relationships to the environment. Indian communities still preserve their values based on collectivity and solidarity, incompatible with the features of an Income Distribution Policy suited to the western society. Finally, the study sustains that the Law "Renda Básica de Cidadania"- Citizenship Basic Income - is better suited for Indian groups, if adapted and regulated for them and by them.
  • Prevalence of intestinal parasites and social-environmental aspects in an indigenous Community in the Iauaretê District, Municipality of São Gabriel da Cachoeira (State of Amazonas), Brazil Parte I - Artigos

    Rios, Leonardo; Cutolo, Silvana Audrá; Giatti, Leandro Luiz; Castro, Mário de; Rocha, Aristides Almeida; Toledo, Renata Ferraz de; Pelicioni, Maria Cecília Focesi; Barreira, Luciana Pranzetti; Santos, Jéferson Gaspar dos

    Abstract in Portuguese:

    Situado em Terra Indígena do Alto Rio Negro, Iauaretê é o segundo maior pólo de concentração humana no município de São Gabriel da Cachoeira (AM) e agrega dez vilas, com 15 etnias. Esse distrito indígena vem sofrendo processo de transformação progressiva de padrão de ocupação disperso e ribeirinho para núcleo com feições urbanas, com aproximadamente 2700 habitantes, desencadeando problemas de saúde pública. Com objetivo de investigar a distribuição de prevalências de parasitos intestinais na população local e discutir a relação desse indicador de saúde com aspectos socioambientais no distrito de Iauaretê, foram realizadas análises da qualidade da água de abastecimento e exames parasitológicos em amostras de fezes e solo. Do total de amostras de água analisadas, 89,2% apresentaram resultado positivo para coliformes termotolerantes. Identificou-se que a vila Dom Bosco foi a que apresentou maior índice de prevalência em amostras fecais com 76% dos indivíduos parasitados. A vila São José apresentou o menor índice com 56%. Os parasitos mais prevalentes em amostras fecais positivas foram, em ordem decrescente, Ascaris lumbricoides (64,84%), Entamoeba coli (32,58%), Endolimax nana (14,84%) e Blastoyistis hominis (13,39%). Em amostras de solo as prevalências mais significativas foram de ovos de Ascaris sp (52,6%), cistos de Entamoeba coli (52,6%) e larvas de ancilostomídeos (52,6%). Concluiu-se que os altos índices de parasitoses intestinais na população, aliados à falta de saneamento básico e à manutenção de práticas sanitárias tradicionais constituem um quadro preocupante em saúde pública.

    Abstract in English:

    The Iauaretê District is the second largest human concentration centre in the municipality of São Gabriel da Cachoeira, state of Amazonas. Situated in Alto Rio Negro Indigenous Land, on the border between Brazil and Colombia, Iauaretê aggregates ten villages, encompassing 15 ethnic cultures. This indigenous district has been undergoing a process of progressive transformation from a disperse and riparian occupation pattern into a settlement with urban features, with approximately 2,700 inhabitants, triggering public health problems. Aiming to investigate the distribution of the prevalence of intestinal parasites in the local population and to discuss the relation between this health indicator and socio-environmental aspects in the Iauaretê district, the quality of the drinking water was analyzed and parasitological exams of excreta and soil samples were conducted. Of the total of analyzed water samples, 89.2% showed positive result for thermotolerant coliforms. The Dom Bosco village was the one presenting the highest prevalence index in excreta samples, with 76% of the individuals infested. The São José village presented the lowest index (56%). The most prevalent parasites were, in decreasing order: Ascaris lumbricoides (64.84%), Entamoeba coli (32.58%), Endolimax nana (14.84%), and Blastoyistis hominis (13.39%). The most significant prevalences of parasites in soil samples were Ascaris sp eggs (52.6%), Entamoeba coli cysts (52.6%) and hookworms larvae (52.6%). In conclusion, high indexes of intestinal parasitism in the population, together with lack of basic sanitation and maintenance of traditional sanitary practices are matters of concern in the public health area.
  • Racial inequality in the mortality of adult women in Recife, 2001-2003 Parte I - Artigos

    Santos, Sony Maria dos; Guimarães, Maria José Bezerra; Araújo, Thália Velho Barreto de

    Abstract in Portuguese:

    As desigualdades raciais, resultantes dos efeitos da exclusão social, são influenciadas pela prática de preconceitos e discriminações. O termo raça pode ser entendido como identidade coletiva ou consciência política que constrói uma auto-estima socialmente positiva. Objetivou-se caracterizar desigualdades raciais na mortalidade de mulheres adultas negras e brancas, residentes em Recife, entre 2001 e 2003. No estudo, tipo transversal, incluíram-se 2.943 óbitos de mulheres de 20 a 59 anos, captados no Sistema de Informação sobre Mortalidade, com raça/cor branca e negra (preta + parda), analisando-se a mortalidade proporcional, coeficientes de mortalidade e razões de taxas. O risco de morte de negras foi 1,7 vezes superior ao de brancas. Entre as negras identificou-se maior risco de morte em todas as faixas etárias e maior proporção de óbitos em hospitais do SUS, de mulheres sem companheiro e que exerciam serviços/atividades domésticas. Quanto às causas básicas, observaram-se maiores coeficientes de mortalidade em todos os capítulos e causas específicas, exceto por neoplasias na faixa de 20 a 29 anos e por câncer de mama nas faixas de 30 a 39 e 50 a 59 anos. Entre negras e brancas, quanto menor a idade, maior a desigualdade do risco de morte por causas externas. Em negras, ressalta-se o maior risco de morte por homicídios; acidentes de transporte; doenças isquêmicas do coração, cerebrovasculares e hipertensivas; diabetes e tuberculose. Os achados revelam iniqüidades na saúde das mulheres negras, decorrentes da violação de direitos que dificultam a ascensão social e o acesso a condições dignas de saúde.

    Abstract in English:

    Racial inequalities are effects of social exclusion, being influenced by prejudice and discrimination. The term race is used here meaning group identity or political perception of sharing a particular racial heritage, which builds a positive social self-esteem. The study aimed to characterize the mortality pattern of black and white adult women living in Recife, between 2001 and 2003. In this cross-sectional study, 2,943 deaths of women aged between 20 and 59 years were included, identified in the Mortality Information System of the National Health System (SUS), with race/skin color white or black (black + mestizo). Proportional mortality, mortality rates and ratios were obtained. The risk of dying was 1.7 times higher for black women compared to whites. Black women had higher risk of death in all age groups and higher proportion of deaths in public hospitals, of women who did not have a partner (single, widow or separated), who were housewives or worked as domestic servants, and who were less educated. Regarding the underlying causes, black women had a higher mortality rate for all chapters of the International Classification of Diseases and for specific causes of death, except for neoplasm in women aged 20 to 29 years and for breast cancer in women aged 30 to 39 and 50 to 59 years. As age decreases, a large difference between black and white women was found in the risk of deaths caused by external causes. Among black women, there was an increase in the risk of dying due to homicides, motor vehicle accidents, ischemic heart diseases, cerebral vascular and hypertensive diseases, diabetes, and tuberculosis. The findings showed inequality in health, with disadvantages for the black women, which are the expression of human rights violation that challenges social rise and the access to decent health conditions.
  • Infant mortality rates in quilombo areas of the Municipality of Santarém - Pará, Brazil Parte I - Artigos

    Guerrero, Ana Felisa Hurtado; Silva, Denise Oliveira e; Toledo, Luciano Medeiros de; Guerrero, José Camilo Hurtado; Teixeira, Pery

    Abstract in Portuguese:

    Este trabalho é uma análise preliminar da mortalidade infantil em áreas quilombolas do município de Santarém-Pará. Trata-se de uma Pesquisa Domiciliar Censitária realizada no período de março/abril de 2006, por meio de procedimentos de busca ativa de óbitos em menores de um ano de idade, com identificação de sub-registro na população das comunidades de terra firme e de várzea. Os níveis de mortalidade foram obtidos pela técnica indireta de estimação. Encontrou-se diferencial na mortalidade de menores de um ano de idade para os quilombos da área de terra firme e várzea, de 30,4 óbitos/por mil nascidos vivos e de 50,2 óbitos/por mil nascidos vivos, respectivamente. Os resultados evidenciam profundas desigualdades, na medida em que as taxas de mortalidade das comunidades quilombolas são maiores quando comparadas com as do país (27,0 óbitos/por mil nascidos vivos), da região Norte (26,2 óbitos/por mil nascidos vivos), e da população negra rural do estado do Pará (32,9 óbitos/por mil nascidos vivos). Observa-se que nenhuma das taxas de mortalidade dos quilombos alcançou níveis considerados satisfatórios quando comparadas com os parâmetros preconizados pelo Ministério da Saúde em 2005 (menos de 20 óbitos/por mil nascidos vivos). Constata-se que, enquanto a mortalidade infantil vem diminuindo no país como um todo, nos quilombos de Santarém, principalmente os da área de várzea, a probabilidade de uma criança quilombola morrer antes de completar o primeiro ano de vida é bastante elevada, superando a média nacional, regional e estadual e classificando-se como alta, conforme os critérios definidos pelo Ministério da Saúde.

    Abstract in English:

    This paper is a preliminary analysis of the infant mortality rates in areas of quilombos (hiding places of runaway slaves) in the city of Santarém, state of Pará. It is a Domiciliary Census Research developed from March to April 2006, through procedures based on the active search of data related to deaths of children in their first year of life, including the identification of non-registered births in the populations of dry land and floodplain communities. The mortality levels were obtained through indirect estimation technique. A difference was found concerning the death of children under one year old regarding dry land and floodplain quilombo areas: 30.4 deaths / 1,000 live births and 50.2 deaths / 1,000 live births, respectively. The results of this study reveal an indisputable inequality, considering that mortality rates in these communities are much higher when compared to the country's total percentages (27 deaths / 1,000 live births). Moreover, none of the mortality rates in the quilombos has reached satisfactory levels when compared to the parameters established by the Ministry of Health in 2005 (less than 20 deaths / 1,000 live births). This paper shows that while infant mortality rates have been decreasing all over the country, in the quilombos, especially those of the floodplains, the probability that a child dies before her first birthday is high, surpassing the national, regional and state averages, and being classified as high according to the criteria established by the Ministry of Health.
  • Sanitary and health conditions at Caiana dos Crioulos, a quilombo community in the State of Paraíba Parte I - Artigos

    Silva, José Antonio Novaes da

    Abstract in Portuguese:

    Objetivou-se neste trabalho apresentar as condições sanitárias e de saúde humana em Caiana dos Crioulos, reconhecida pela Fundação Cultural Palmares como uma comunidade remanescente de quilombos, em maio de 2005, e efetuar um levantamento sobre o nível de conhecimento de algumas doenças prevalentes na população negra, bem como discutir a utilização da variável "raça" na pesquisa em saúde. A comunidade apresenta uma população de aproximadamente 522 pessoas, majoritariamente crianças e adolescentes, cuja grande maioria apresenta ancestralidade africana, sendo 93% de seus habitantes autoclassificados pretos, negros, morenos. O sustento da comunidade é obtido, principalmente, por meio de plantações de subsistência. Apesar da inexistência de condições sanitárias apropriadas em Caiana dos Crioulos, como água corrente limpa para consumo humano e esgoto sanitário tratado, nenhuma doença relacionada à água nem agravos à saúde humana foram observados na população local. Dentre os problemas de saúde e agravos observados, destacam-se o consumo de álcool, a hipertensão e os problemas mentais. As pessoas têm apenas uma idéia aproximada desses problemas, mas desconhecem informações básicas a respeito de doenças e agravos prevalentes na população negra, tais como anemia falciforme e hipertensão.

    Abstract in English:

    This work aimed to present the conditions of sanitation and human health at Caiana dos Crioulos, accredited in May 2005 by the Fundação Cultural Palmares as a remnant community of 'quilombos', to carry out a survey on the knowledge level that black people have on prevalent diseases in the African ancestry population, as well as to discuss the variable 'race' in health research. The community is formed by 522 persons, most of them are infants and adolescents, mostly of African ancestry, where 93% of them self-proclaim as black, negro, or 'moreno' (dark-complexioned person). They are supported basically by subsistence agriculture. Despite non-existent proper sanitary conditions in the village of Caiana dos Crioulos, like clean running water for human consumption and treated sewage, neither water-borne diseases nor serious injuries to human health were observed in the human population. The most noteworthy health problems and injuries observed in the population were the consumption of alcohol, hypertension, and mental disorders. Local people have just a vague idea of such problems but they ignore basic information of prevalent diseases and injuries in black population like sickle cell anemia and hypertension.
  • Sexual and reproductive rights: the conceptions of black and white women regarding freedom Parte I - Artigos

    Souzas, Raquel; Alvarenga, Augusta Thereza de

    Abstract in Portuguese:

    A saúde reprodutiva relaciona-se ao usufruto da liberdade intrínseca aos direitos sexuais e reprodutivos. A questão central, neste artigo, é como a noção de liberdade se articula à condição social, de gênero, raça/etnia, com o intuito de investigar diferenças de gênero e de raça nas questões reprodutivas de mulheres negras e brancas, em relação à concepção de liberdade. A pesquisa é de natureza qualitativa e aborda questões reprodutivas de mulheres, a partir de um recorte de gênero e raça. Foram entrevistadas 36 mulheres, autoclassificadas brancas e negras (pretas e pardas), em união conjugal há, pelo menos, um ano. Os discursos foram analisados articulando-se raça/etnia e diferentes níveis de escolaridade. No conjunto, observa-se que as condições de vida e saúde reprodutiva de mulheres negras e brancas diferenciam-se em razão das condições socioeconômicas e culturais. Comparativamente, os discursos dos dois grupos podem ser interpretados em dois níveis característicos, da vida privada e do espaço público: enquanto mulheres brancas focam a defasagem das mulheres, no exercício eqüitativo da liberdade em relação aos homens, mas destacam conquistas no mundo do trabalho, mulheres negras pensam a liberdade mais circunscrita à possibilidade de vivência democrática da conjugalidade. As diferenças de discurso em relação à liberdade podem estar relacionadas tanto à questão do racismo no Brasil, historicamente vivenciado por mulheres negras no cotidiano, como às questões especificamente culturais dos dois grupos estudados.

    Abstract in English:

    Reproductive health is related to the enjoyment of freedom that is intrinsic to sexual and reproductive rights. The core issue, in this article, is how the notion of freedom articulates itself to the social condition of gender, race and ethnicity. To investigate gender and race differences in reproductive issues of black and white women regarding the conception of freedom. The research is of a qualitative nature and approaches reproductive issues of women based on an outline of gender and race. Thirty-six women were interviewed, self-classified as white and black (black and mulatto), in conjugal union for, at least, one year. The discourses were analyzed articulating race/ethnicity and different levels of schooling. Overall, one can observe that the life conditions and reproductive health of black and white women differ due to socio-economic and cultural conditions. Comparatively, the discourses of the two groups can be interpreted in two characteristic levels, those of private life and public space: while white women focus on the delay of women in the equitable exercise of freedom compared to men, but highlight achievements in the world of labor, black women view freedom as concerning the possibility of a democratic experience of conjugality. The differences in discourses as to freedom can be related as much to the issue of racism in Brazil suffered daily by black women throughout history, as to the specifically cultural issues of the two groups that were studied.
  • The "Faithful", the "Lover" and the "Charming Young Male": gender subjects in the racialized periphery Parte I - Artigos

    Pinho, Osmundo

    Abstract in Portuguese:

    Neste ensaio etnográfico procura-se, com base em investigação conduzida entre jovens moradores do grande loteamento popular na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, interrogar a experiência da modernização em ambientes periféricos e empobrecidos. Com atenção específica para os efeitos estruturantes dessa modernização sobre as práticas de raça e gênero. Busca-se com isso fornecer novos elementos tanto para o debate sobre a especificidade da modernização brasileira, quanto para a compreensão das relações raciais e de gênero em contextos de pobreza. A partir dos dados produzidos por esta pesquisa pretende-se representar o "ponto de vista" dos agentes e as condições objetivas para a reprodução das desigualdades, algo que parece crucial para a elaboração de políticas adequadas de saúde sexual e reprodutiva para juventude, respeitando-se as condições interseccionais de produção da desigualdade e da violência.

    Abstract in English:

    In this ethnographic essay the author, based on a research study carried out among young dwellers of a big popular settlement in the Rio de Janeiro Metropolitan area, intends to investigate the modernization experience in impoverished and peripheral social environments, with specific attention to structuring effects of this modernization over race and gender practices. The aim is to introduce new elements into the debate about the specificity of Brazilian modernization, as well as into the comprehension of the race and gender relations in contexts of poverty. Based on the data, the author intends to represent the subjects' "point of view" and the objective material conditions for the reproduction of inequalities, something that seems to be crucial for public policy elaboration in the field of reproductive and sexual health to young people, regarding at the same time the intersectional social conditions for production of violence and inequality.
  • Institutional Racism: a challenge to equity in the National Health System (SUS)? Parte I - Artigos

    Kalckmann, Suzana; Santos, Claudete Gomes dos; Batista, Luís Eduardo; Cruz, Vanessa Martins da

    Abstract in Portuguese:

    O racismo institucional é definido como o "fracasso coletivo de uma organização para prover um serviço apropriado e profissional para as pessoas por causa de sua cor, cultura ou origem étnica. Ele pode ser visto ou detectado em processos, atitudes e comportamentos que totalizam em discriminação por preconceito involuntário, ignorância, negligência e estereotipação racista, que causa desvantagens a pessoas de minoria étnica". A prática do racismo institucional na área da saúde afeta preponderantemente as populações negra e indígena. Este artigo tem como objetivo relatar a sondagem de opinião sobre a existência de racismo nos serviços de saúde. Para isso, foi realizado um estudo exploratório, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Instituto de Saúde, com análise de questionário auto-aplicável entregue aos participantes do 2º Seminário de Saúde da População Negra do Estado de São Paulo, ocorrido no Município de São Paulo, em 17 de maio de 2005. Os resultados evidenciam que a população negra vem sendo discriminada nas unidades de saúde, como usuários e como profissionais. Verificou-se que os serviços de saúde, por meio de seus profissionais, aumentam a vulnerabilidade desses grupos populacionais, ampliando barreiras ao acesso, diminuindo a possibilidade de diálogo e provocando o afastamento de usuários. Diante do encontrado, acredita-se ser importante estimular discussões sobre o tema e desenvolver estudos que além de dar visibilidade às iniqüidades possam contribuir para a compreensão de como as discriminações atuam na saúde da população negra.

    Abstract in English:

    Institutional racism is defined as the collective failure of an organization to provide appropriate and professional services for people because of their color, culture or ethnic roots. It can be seen or detected in processes, attitudes and behaviors that produce discrimination due to unintentional prejudice, ignorance, negligence and racism stereotypes, causing dis-advantage to people belonging to ethnic minorities. The practice of institutional racism in the health area affects specially the black and indigenous populations. The present article aims to present an investigation into opinions about the existence of racism in the health services. To achieve this, an exploratory study was conducted, approved by the Committee for Research Ethics of the Health Institute (Instituto de Saúde do Estado de São Paulo), with the analysis of a self-administered survey delivered to those who attended the 2nd Black Population Health Seminar of the state of São Paulo, which was held in the city of São Paulo on May 17, 2005. The results show that the black population has been discriminated in the health units, both as users and as professionals. It was verified that the health services, through their professionals, increase the vulnerability of those groups, enlarging access barriers, reducing the possibility of dialog and causing the withdrawal of users. In light of these findings, it is believed that it is important to stimulate discussions about the topic and develop studies to give visibility to the inequities and, therefore, contribute to the understanding of how discrimination acts in the black population's health.
  • Extension summer courses on ethnic groups and Health at School of Public Health of USP, or the difference that needs to make a difference Parte II - Relato de Experiência

    Adorno, Rubens de Camargo Ferreira; Oliveira, Lavínia Santos de Souza

    Abstract in Portuguese:

    Realiza-se uma breve discussão da introdução das noções de raça/etnia e etnicidade no campo da saúde pública no Brasil, destacando-se a emergência dessa questão no contexto da universalização das políticas públicas sociais e tendo como pano de fundo a experiência de realização de cursos de extensão na área de saúde pública.

    Abstract in English:

    This report discusses the introduction of the conceps of race, ethnics and ethnicity in Brazilian public health policies highlighting the relationships between ethnicity and universal social policies, departing from universities extension courses in public health.
  • The implementation of the question regarding color/race in STD/AIDS services in the State of São Paulo Parte II - Relato de Experiência

    Giovanetti, Márcia Regina; Santos, Naila Janilde Seabra; Westin, Caio P.; Darré, Dulcimara; Gianna, Maria Clara

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: O artigo apresenta experiência de implantação e implementação do quesito cor/raça nos serviços de atendimento às DST/Aids no Estado de São Paulo (ESP), através de parceria firmada em 2004 entre a Divisão de Prevenção do Programa Estadual DST/Aids do ESP e o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT), visando executar um projeto serviços. Trinta e cinco serviços de atendimento às DST/Aids foram envolvidos no projeto e foram realizadas, de 2004 e 2006, sete oficinas de sensibilização e monitoramento do processo de implantação do quesito cor/raça, segundo metodologia de construção participativa e compartilhada do conhecimento, proposta pelo CEERT. Como resultado, verificou-se que o processo de discussão e de reflexão da temática étnico-racial torna a implantação do quesito cor/raça mais fácil. Os folhetos e cartazes propiciam o esclarecimento de profissionais e usuários, facilitando a implantação do quesito. Investir na capacitação dos profissionais da recepção dos usuários é importante para a implantação desse quesito nos serviços de saúde. CONCLUSÃO: A partir desta experiência o Grupo de Trabalho Etnias do Programa Estadual DST/Aids vem ampliando sua atuação. Em 2006, com a parceria das profissionais do Instituto AMA-Psique, iniciou-se o processo para 13 novos municípios, consolidando a implantação do quesito cor/raça no ESP. Esperamos que as informações produzidas possam sensibilizar as diversas esferas, para que sejam propostas e aprovadas políticas públicas que promovam a eqüidade racial na saúde e a qualidade de vida para população negra e indígena.

    Abstract in English:

    This paper describes the experience to implement a systematic collection of these data on color/race in the STD/Aids care services in the State of São Paulo (SSP), through a partnership signed in 2004 between the Prevention Division of the STD/Aids State Program of the SSP and CEERT (initials in Portuguese for Center of Studies on Work Relations and Inequality) to carry out a project question in these services. Thirty-five STD/Aids care services were involved in the project and between 2004 and 2006, seven workshops of sensitization and monitoring of the process of implementation of the color/race question were held. It was observed that the process of discussion and reflection on the ethnic-racial theme renders the implementation easier. The campaign material provides clarification for the team of professionals and for the users, facilitating the implementation of this question. Investing in the qualification of reception professionals is important for the implementation of this question in the health services. CONCLUSION: With this experience, the Work Group Ethnicities of the STD-Aids State Program has broadened its performance. In 2006, with the partnership of the professionals of the AMA-Psique Institute, the process was extended to 13 new cities, consolidating the implementation of the color/race question in the STD-Aids services in the SSP. We hope that the produced information can sensitize the diverse spheres, so that public policies that promote racial equity in health and quality of life for black and aboriginal population are proposed and approved.
  • Religions and health: the experience of the National Network of Afro-Brazilian Religions and Health Parte II - Relato de Experiência

    Silva, José Marmo da

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo visa mostrar a experiência da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde na construção de uma parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS), as práticas terapêuticas utilizadas pelos terreiros e as relações da religiosidade afro-brasileira com os agravos e as doenças. A importância dos cuidados com o corpo para as religiões afro-brasileiras foi o ponto de partida para a realização da experiência do agir em rede, em que as lideranças das religiões de matrizes africanas vivenciaram situações que possibilitaram entender o funcionamento do SUS, avaliar os serviços prestados a população e reconhecer a importância do controle social das políticas públicas de saúde. Em contrapartida, mostra também o estabelecimento de um canal de interlocução que possibilitou aos sacerdotes e sacerdotisas da tradição religiosa afro-brasileira uma aproximação maior dos gestores e profissionais de saúde facilitando o diálogo e a proposição de ações em saúde que respeitassem a cultura e a visão de mundo dos terreiros. Finalmente apresenta alguns dos resultados e desafios enfrentados pela Rede Nacional de Religiões e Saúde na sua trajetória de ações em parceria com o SUS.

    Abstract in English:

    The present report aims to show the experience of the National Network of Afro-Brazilian Religions and Health in the construction of a partnership with SUS (National Health System), the therapeutic practices used by the terreiros and the relationships of the Afro-Brazilian religiosity to injuries and diseases. The importance of body care to the Afro-Brazilian religions was the point-of-departure to carry out the experience of acting in network. In this experience, the leaderships of African religions underwent situations that promoted the understanding of the functioning of the National Health System/SUS, the evaluation of the services provided for the population, and the recognition of the importance of the social control of public health policies. The report also shows the establishment of an interlocution channel that promoted an approximation between the priests and priestesses of the Afro-Brazilian religious tradition and the health managers and professionals, facilitating the dialog and the proposition of health actions, respecting the culture and worldview of the terreiros. Finally, it presents some results and challenges faced by the National Network of Afro-Brazilian Religions and Health in its trajectory of actions in partnership with SUS.
  • "Racialization" of health policies? (notes on health policies for the black and indigenous populations) Parte III - Nota

    Varga, István van Deursen
  • The university dealing with the health of indigenous peoples: the Xingu Project experience of the Federal University of São Paulo/São Paulo's School of Medicine Parte IV - Depoimento

    Baruzzi, Roberto G.
  • Correction Errata

Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br